sábado, 8 de agosto de 2009

Se eu fosse um livro..

Segundo um teste da Abril, recomendado pela Lu do 'Muito Pouco', eu seria "Morte e vida severina", de João Cabral de Melo Neto. Nunca li o livro, mas pretendo lê-lo, achei interessante a descrição dele e espero que realmente tenha a ver comigo ou com meus conceitos. :)
Abaixo o resultado do teste seguido de sua relação com o livro:

"Às vezes você tem uma séria vontade de estapear as pessoas, só para fazê-las acordarem e perceberem as injustiças deste mundo. Como podem viver em seus mundinhos banais, quando há quem passe fome e totalmente à margem de qualquer conforto ou assistência? Esta talvez seja a sua maior revolta. Por isso, você tenta fazer a sua parte. Talvez por meio de um trabalho voluntário, participando de movimentos populares ou somente se exaltando em rodas de amigos menos engajados. De qualquer maneira, você consegue de fato comover pessoas com seu discurso apaixonado e, ao mesmo tempo, baseado numa lógica de compaixão e igualdade que ninguém pode negar. Essa missão é mais do que cumprida pelo belo "Morte e vida severina" (1966), poema dramático escrito pelo pernambucano Melo Neto que se tornou símbolo para uma geração em conflito com as consequências sociais geradas pelo capitalismo selvagem."

Não sou muito boa com auto-definições, mas segundo a minha melhor amiga que fez o teste comigo, essa é a definição perfeita. Vou ler, e depois digo o que achei do livro. Se estiverem interessados em fazer o teste é só clicar aqui. No site também existe vários outros testes interessantes, vale conferir. ;)

Obrigada por lerem isso aqui. ;*

10 comentários:

Priscila Hovernek disse...

o meu deu nada a ver. só porque em uma questão falei uma coisa de amiga:

"Doidas e santas", de Martha Medeiros

Moderninha e solteira, ou radiante de véu e grinalda? Eis a questão da jovem (ou nem tão jovem) mulher profissional, cosmopolita e, apesar de tudo, muito romântica. Eis a sua questão! Confesse: quantas horas semanais você gasta conversando sobre encontros e desencontros sentimentais com as suas amigas? Aliás, conversando não. Analisando, destrinchando... Mas isso não quer dizer que você só questione a existência de príncipe encantado, não. A vida adulta hoje não está fácil para ninguém, como bem mostram as 100 crônicas de "Doidas e Santas" (2008), que retratam os sabores e dissabores da vida sentimental e prática nas grandes cidades.


vou fazer de novo! hahaha

Mickael' disse...

"Carmen – Uma biografia", de Ruy Castro

Boa história é com você mesmo. Adora ouvir, contar, recontar. As de pessoas interessantes e revolucionárias são as suas preferidas. Tem gente que liga para você só para saber das últimas fofocas. E confesse: com seu jeitinho manso e detalhista, você dá aos fatos um sabor todo especial. Além disso, não se contenta em reproduzir o que já foi dito. Por isso, se fosse um livro, você só poderia ser uma boa biografia, daquelas que faz os leitores deitarem na rede do fim de semana e se entregarem às peripécias de uma grande personagem. Aliás, você já pensou na profissão de repórter? Ou de escritor?
"Carmen – Uma Biografia" (2005), sobre Carmen Miranda, é uma das aclamadas biografias publicadas por Ruy Castro, também jornalista e tradutor, considerado um dos maiores biógrafos brasileiros.

Rosi Rabelo disse...

Mickael, essa está a sua cara! :D

Dara Bandeira disse...

A paixão segundo GH, de Clarice Lispector

Você é daqueles sujeitos profundos. Não que se acham profundos – profundos mesmo. Devido às maquinações constantes da sua cabecinha, ao longo do tempo você acumulou milhões de questionamentos. Hoje, em segundos, você é capaz de reconsiderar toda a sua existência. A visão de um objeto ou uma fala inocente de alguém às vezes desencadeiam viagens dilacerantes aos cantos mais obscuros de sua alma. Em geral, essa tendência introspectiva não faz de você uma pessoa fácil de se conviver. Aliás, você desperta até medo em algumas pessoas. Outras simplesmente não o conseguem entender.
Assim é também "A paixão segundo GH", obra-prima de Clarice Lispector amada-idolatrada por leitores intelectuais e existencialistas, mas, sejamos sinceros, que assusta a maioria. Essa possível repulsa, porém, nunca anulará um milésimo de sua força literária. O mesmo vale para você: agrada a poucos, mas tem uma força única.

Será que sou assim ?

ana c disse...

adorei o blog; só não digo o mesmo do livro, tinha que ler para a escola e não sei se foi por causa do motivo da leitura, mas realmente não me agradou muito! mas o objetivo de abrir os olhos do mundo para a vida dos menos favorecido é realmente dignissimo!

tambem fiz o teste; o resultado foi estranho, apareceram 3 livros, aconteceu só comigo? rsrs
não dá nem pra colocar tudo aqui, mais foram : "O vampiro de Curitiba", de Dalton Trevisan ; "Doidas e santas", de Martha Medeiros e "Os donos do futuro", de Roberto Shinyashiki.

adoreei o blog! parabéns!

' isaa * disse...

nossa, eu adorei seu blog !
vou passar a vir aqui mais vezes ^^
já to te seguindo, viu ?
beijos !

Thamii ~ disse...

aaah, eu fiz o teste também, eu gostei do resultado... sairam dois livros pra mim:
"A paixão segundo GH", de Clarice Lispector e "Doidas e santas", de Martha Medeiros...

obrigada pelo teste!!! ^^

Luke Souza disse...

"No país da piada pronta", de José Simão
José Simão, ta aê...
Acho ki vou deixar de sair e ler o livro...
Aaaa, nããooo melhor ir pra rua! uu'
=D

Papagaio Mudo disse...

ninguém é muito bom com auto definições.

abs,

Gustavo

muito-pouco disse...

Ah que bonitinho, nao tinha visto este post!
Beijinhos